Como surgiu?
Ser um educador de um grupo de crianças é uma das grandes oportunidades que a vida oferece para quem escolhe o caminho da Educação. Neste pequeno/grande universo, podemos participar e acompanhar o desenvolvimento humano, as relações construídas, as criações diárias expressas na singularidade de cada criança.
Ler mais
Cada dia traz consigo a possibilidade de um novo encontro e a vida pulsa no movimento fluido de transformação, trazendo alegrias imensas e também grandes desafios. O educador intui, acerta, experimenta, erra, tenta de novo, mas não desiste. Persiste em sua vontade de acertar e oferecer o melhor às crianças que estão diante dele. É incrível como a criança não conta os acertos tampouco os erros, e sim, o esforço que este faz toda vez que se ergue e se coloca no exercício de tentar mais uma vez.

E assim, este educador vai construindo um conhecimento que parte da sua atuação, passa pelo seu coração e, à noite, quando reflete sobre o seu dia, acaba recebendo bênçãos das estrelas para recomeçar no dia seguinte tudo de novo. Esta prática diária não significa que o educador não tenha estudado ou se preparado para estar diante da criança, mas significa que para se relacionar adequadamente com o outro, colocar-se no caminho do aprendizado, e Ser Humano, é preciso seguir os passos do conhecimento. Estes seguem uma trilha bonita e precisa: da ação segue ao coração para então alcançar à reflexão, ao pensamento vivo. Estar com crianças pequenas prescinde desses elementos: precisamos agir, precisamos ser e precisamos conhecer!

Quando nos reunimos, todas às quintas feiras (*), para compartilhar vivências e estudar as observações dos processos de desenvolvimento das crianças com todas as dificuldades e superações ficamos espantados com o conhecimento vivo e criativo produzido diariamente por um educador que faz da sua missão o seu dia a dia com as crianças. Não se trata de teorias abstratas, mas experiências humanas que fundamentam a antropologia, o conhecimento do homem a partir de uma escuta para a criança. É retirar nossa compreensão da vida vivida, do que a experiência revela com todas as manifestações e suas diferentes nuances.

Aqui se mostra um caminho, talvez inverso de como o conhecimento está estruturado na nossa sociedade, porque neste caso começamos pela criança, e para isto é necessário construir uma postura aberta e, acima de tudo, confiar nesta criança a nossa frente para que ela possa se expressar na sua inteireza e não categorizar a criança em conceitos pré-estabelecidos.

Foi aos poucos que, nós, educadoras na Casa Amarela fomos nos conscientizando e, assim, nos apropriando desta forma de estudar e pesquisar. A partir da observação minuciosa do fenômeno construímos possibilidades para os nossos desafios diários. Após muitos anos trabalhando e estudando nesta perspectiva foi que resolvemos "inaugurar" o nosso Centro de Estudos Casa Amarela. Nomear este processo, que acontecia de forma espontânea no nosso grupo de professoras, tem a intenção de conscientizar e valorizar a pesquisa e estudo que acontece diariamente nas práticas escolares, mas também, de achar formas de compartilhar não só entre nosso grupo de professoras, como também com os pais e com quem tiver interesse, este caminho que encanta a todas nós.

Educadoras da Casa Amarelaoferece para quem escolhe o caminho da Educação. Neste pequeno/grande universo, podemos participar e acompanhar o desenvolvimento humano, as relações construídas, as criações diárias expressas na singularidade de cada criança.

(*) Nas escolas de Pedagogia Waldorf do mundo inteiro as reuniões pedagógicas com todo corpo docente acontecem semanalmente às quintas feiras. Essa é uma forma de fortalecer o conhecimento e o impulso da educação humana. A reunião é organizada de forma particular em casa escola, mas todas partem de alguns temas como estudo, observação de criança e atividades artísticas e práticas pedagógicas.
O que oferecemos:
-1-
Oficina: "Vivência da Pedagogia Waldorf"


Estas oficinas têm como objetivo principal dar um panorama geral sobre a educação infantil aa Pedagogia Waldorf. São encontros de educadores que intercalam vivências práticas e exercícios de grupo para reflexão sobre temas fundamentais na Pedagogia Waldorf como o brincar livre, materiais e atividades cotidianas e artísticas.

Grupos: de até 20 participantes
Duração: 3 horas.
Valor a combinar
Agendamento: contato
-2-
Minicurso: "Brincar livre: um caminho de compreensão e observação do brincar livre na escola"
Os minicursos pretendem compartilhar as pesquisas do Centro de Estudos da Casa Amarela e possibilitar vivências que exercitem o olhar do educador para esta expressão espontânea da criança refletindo sobre seu potencial criativo no desenvolvimento humano.


Grupos: de até 20 participantes
Duração: 10 horas
Valor a combinar
Agendamento: contato
Publicações
Clique na imagem para baixar o livro
Digital Storytelling
The Future
Clique na imagem para baixar o livro

2012 – 2013:
Os videos sobre a "brincadeira de casinha" foram produzidos durante a parceria com o Território do Brincar: Diálogos com escolas. Esta parceria foi realizada através de videoconferências mensais com temas organizados pela equipe do Território do Brincar, encontros no Instituto Alana com palestrantes convidados e um projeto de pesquisa realizado em cada escola parceira sobre a brincadeira de casinha.

2017:
Vídeos realizados sobre os projetos individuais do grupo de professoras da Casa Amarela sobre a observação fenomenológica da criança.

2019:
Participação e coordenação do projeto de pesquisa do brincar livre em parceria com o Projeto Território do Brincar. Parte deste processo deu origem ao filme Miradas, disponível gratuitamente na plataforma do Videocamp.
Projetos
Parceiros
-1-
Aliança pela Infância
www.aliancapelainfancia.org.br
A Aliança pela Infância é um movimento mundial - Alliance for Childhood - uma rede que atua facilitando a reflexão e a ação das pessoas que se preocupam com o cuidado e com a educação das crianças. Nasceu em 1997 na Inglaterra a partir da preocupação de um grupo de pessoas com a situação da infância no mundo contemporâneo: a falta de espaços para brincar, o consumismo desenfreado, a pressão escolar precoce, entre outros desafios. Constituindo-se em um novo modelo de cooperação internacional, a Aliança pela Infância caracteriza-se por ser uma rede, uma aliança de pessoas e organizações unidas por ideais comuns visando à melhoria da vivência da infância.


Desenvolvimento de inclusão social na Escola Casa Amarela
Baixar arquivo pdf de 2,2MB
-2-
Território do Brincar
www.territoriodobrincar.com.br
O Projeto Território do Brincar é um trabalho de escuta, intercâmbio de saberes, registro e difusão da cultura infantil. Entre abril de 2012 e dezembro de 2013, a equipe do Projeto estará na estrada percorrendo o Brasil por comunidades rurais, indígenas, quilombolas, grandes metrópoles, sertão e litoral, revelando o país através dos olhos de nossas crianças. Coordenado pela educadora Renata Meirelles e pelo documentarista David Reeks, o Território do Brincar tem seu foco nas sutilezas do brincar, nos gestos e palavras que apresentam a essência da infância de toda criança.
-3-
Espaço Imaginário
www.memoriasdofuturo.com.br
O Espaço Imaginário é uma produtora cultural que em seu caminho constrói experiências que permeiam as infâncias, educação, artes, memórias, a cultura popular brasileira e o cinema confluindo em conteúdos audiovisuais com foco na documentação das infâncias e do Brincar no Brasil. Atua em espaços educativos diversos: Escolas, Oficinas de formação de educadores, ateliês artísticos, encontros entre famílias e crianças, intervenções urbanas, comunidades tradicionais do Brasil.
Contatos
Centro de Estudos
Rua Elpídio da Rocha 200 - Rio Tavares
Florianópolis/Santa Catarina/Brasil
CEP: 88048-398

Left
Right
Left
Right